quinta-feira, 24 de julho de 2008

A MORTE



Livre da dor, do sofrimento, das angústias desse mundo, diante do Pai celestial rogo por todos aqueles que, em minha existência, compartilharam de todos os meus momentos।

Não chorem, não lamentem, a saudade dói, mas quem somos nós senão instrumentos nas mãos do nosso Deus, Pai e Criador, que não fez nada mais do que me convidar a voltar para a sua eterna morada।

Do contrário, agradeçam, pois sou eternamente grata pelos anos junto a vocês.Um dia nos encontraremos, e juntos compartilharemos das alegrias celestiais.

Um comentário:

Duzinho disse...

Meu muito bom..... vc mesmo que criou as mensagens?
se sim está de parabéns.... recordo-me de qd vc escrevia varis coisas
abraço